Crescimento

O início de 2019 registrou alta de 4,9% nas vendas de novas cotas do Sistema de Consórcios. Em janeiro, o número de participantes atingiu 191 mil contra 182 mil no mesmo mês do ano passado. Os correspondentes créditos comercializados avançaram 11,2%, saltando de R$ 7,014 bilhões (jan/2018) para R$ 7,801 bilhões (jan/2019).

O destaque em janeiro foi a soma de 90 mil novas cotas comercializadas de Veículos Leves, representando 47,1% das 191 mil adesões. Houve ainda volumes expressivos nos demais setores: Veículos Pesados, Motocicletas, Imóveis, Serviços e Eletroeletrônicos e outros bens móveis duráveis. Em retrospectiva, os dados mostram que as vendas de novas cotas no primeiro mês do ano foram o segundo melhor volume quando comparado com os de anos anteriores, a partir de 2015.

O tíquete médio do mês foi de R$ 40,8 mil, 6% acima dos R$ 38,5 mil anotados em janeiro de 2018. Com 22 dias úteis decorridos em 2019, a média diária das adesões atingiu 8,68 mil, a maior dos últimos quatro anos, 5% mais que as 8,27 mil contabilizadas no mesmo período do ano passado.

No período compreendido entre o mês de janeiro de 2018 e o deste ano, com constantes avanços ocorridos mês após mês, o total de consorciados ativos atingiu 7,157 milhões no primeiro mês de 2019, 4% superior aos 6,880 milhões iniciais

As contemplações contabilizadas em janeiro alcançaram 103,5 mil, isto é, 1,8% mais que as 101,7 mil anteriores (jan/2018). O crescimento foi resultado da gradativa recuperação consorcial decorrente da abertura de novos grupos nos últimos meses.

Os créditos concedidos aos contemplados, cujo valor pode ter sido potencialmente injetado nos diversos setores da cadeia produtiva onde o mecanismo está presente, registraram estabilidade no início do ano: enquanto em janeiro de 2018 o total chegou a R$ 3,48 bilhões, no mesmo mês deste ano alcançou R$ 3,50 bilhões, reafirmando o mecanismo como importante participante do desenvolvimento nas atividades econômicas.

“Ao seguir ratificando o crescimento anotado em 2018, o Sistema de Consórcios começou o ano embalado na expectativa otimista demonstrada pelo mercado consumidor”, esclarece Paulo Roberto Rossi, presidente executivo da ABAC Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios. “O aumento das vendas de novas cotas ocorrido em todos os setores na qual a modalidade está presente, aliado a um tíquete médio maior, comprovaram o conhecimento do consumidor mais focado no planejamento e no controle das finanças, considerando os conceitos básicos da educação financeira”, complementa.

Os resultados alcançados pelo Sistema evidenciaram também a significativa presença nos diversos elos da cadeia produtiva, como no setor de motos, por exemplo, onde os créditos injetados pelas contemplações resultaram possivelmente em uma a cada duas unidades vendidas no mercado interno. Também na indústria automobilística, os veículos leves [automóveis, utilitários e camionetas] tiveram potencial presença em quase um a cada três autos comercializados no país. “O Sistema de Consórcios, uma criação brasileira de mais de 55 anos, está cada vez mais atual e presente. O diferencial da modalidade, bastante escolhida para aquisição de bens ou contratação de serviços, está na simplicidade de contratação e no custo adequado, sempre a partir de planejamento financeiro a médio e longo prazos”, afirma Rossi.

 

FONTE: ABAC